Taubaté Vôlei arma time sem selecionáveis

O Taubaté Vôlei já está com a pré-temporada em andamento e como oito jogadores ficarão em seleções até o começo de setembro, quatro foram integrados para compor o grupo que deverá começar a Campeonato Paulista com nove. No ano passado, os Jogos Olímpicos do Rio também atrasaram a composição da equipe.

Novidade no comando do Taubaté, o técnico Daniel Castellani já sabe que somente em setembro contará com a forte equipe armada pelo diretor Ricardo Navajas. O Campeonato Sul-Americano de Seleções segurará seis taubateanos, sendo cinco na Brasileira (Lucarelli, Wallace, Thales Hoss, Rapha e Otávio) e um na da Argentina (Sebastião Solé). Simultaneamente, o Campeonato Europeu deverá deixar um com a Sérvia (Marko Ivovic). E também haverá uma competição da Seleção Brasileira Sub-23, que conta com um taubateano (Rodrigo Ruiz).

Dos 13 contratados na reformulação do elenco, cinco já estão treinando normalmente: o ponteiro Dante, o levantador Paulo Renan, o central Rafael Martins, o líbero Matheus e o ponteiro Renan. E para uma composição provisória do grupo, quatro foram integrados: o oposto Kaio, o ponteiro Alisson, o central Bruno Felício e o ponteiro Ricardo Alexandre.

Com o Campeonato Paulista previsto para começar em agosto, porque julho é mês de times liberados para representarem as respectivas cidades nos Jogos Regionais, o Taubaté ainda tem algumas semanas de treinos.

Na temporada anterior

Na temporada anterior

No ano passado, quando Cezar Douglas ainda era o técnico, as dificuldades chegaram a atrapalhar o rendimento da equipe durante o semestre e certamente deixaram lições para  atual pré-temporada. Na oportunidade, o desentrosamento exigiu um tempo maior de superação, porque Wallace e Eder, que chegaram do Cruzeiro e após passagem pela Seleção, modificaram a forma de atuar do time.

Outro problema enfrentado foi uma contusão de Lucarelli, que atravessou os Jogos Olímpicos meio na base do sacrifício e depois, ao tentar embalar com o reformulado Taubaté, não resistiu e teve que ficar um bom tempo afastado.

No Paulista, que começou no dia 24 de agostou e terminou no dia 21 de outubro, o Taubaté soube evoluir o necessário para comemorar o terceiro título estadual. Nas finais, contra o Sesi, perdeu em São Paulo, venceu em Taubaté e logo seguida, no Golden Set.

Todavia, na Superliga, o time fechou 2016 na quinta colocação, atrás de Cruzeiro, Sesi, Campinas e Montes Claros. Oscilando nas apresentações, deixou dúvidas e com os próprios jogadores reconhecendo que atuavam abaixo do esperado.

A recuperação veio após a virada do ano. O time cresceu, conquistou a Copa do Brasil, ultrapassou três concorrentes na Superliga e chegou à decisão. Em uma final de partida única, em Belo Horizonte, contra o Cruzeiro, terminou vice, fechando a temporada de competições.

Na foto (reprodução da TV Band Vale), jogadores treinando na pré-temporada.

Comments

comments