Seleção de basquete feminino joga em Pinda

A Seleção Brasileira Adulta Feminina enfrenta Angola, nesta terça-feira (1º de agosto), às 21h (de Brasília), no ginásio Municipal João do Pulo, em Pindamonhangaba (SP), na reta final de preparação para a disputa da ‘Copa América – 2017 (FIBA Women’s AmeriCup – 2017). Esta primeira partida preparatória terá transmissão ao vivo pelo Esporte Interativo.

Para o técnico Carlos Lima, as duas partidas contra o selecionado angolano serão importantes para avaliações e algumas conclusões. “Um jogo em que poderemos fazer análises e testar muitas coisas que treinamos até aqui, por isso, é muito importante, ainda mais nesta reta final de preparação”, explicou.

O preparador físico Clóvis ‘Vita’ Haddad também fará as suas observações. “O jogo preparatório neste momento é um instrumento muito importante na avaliação da condição atual das atletas, uma vez que poderemos observar o quanto elas estão resistentes com relação ao jogo, vamos poder observar a recuperação delas após a partida e também poderemos ver os aspectos de velocidade e agilidade, como elas estão conseguindo desempenhar. Nesse momento próximo a competição é de suma importância termos situações efetivas de jogo, que nos preparem bem para a Copa América”, completou.

O Brasil volta a enfrentar o selecionado de Angola, no dia seguinte (quarta-feira), às 15h (de Brasília), no mesmo local, em outro jogo preparatório. Na quinta-feira, a delegação embarcará para a Argentina.

No sábado, a Seleção concluiu mais uma etapa de trabalho, treinando em dois período. E, o técnico Carlos Lima considerou extremamente válido esse período de preparação, que está em sua reta final.

“As jogadoras se dedicaram bastante ao longo da semana, entendendo a necessidade de se trabalhar forte, visto que a competição está se aproximando e temos que estar evoluindo sempre nos aspectos tático, técnico e físico. Vamos seguir com a mesma garra e determinação nesta reta final de preparação para chegarmos ao nosso melhor nível”, explicou Lima.

Com a necessidade de definir as 12 atletas que viajam a Argentina, o treinador brasileiro anunciou mais um corte: a pivô Raphaella Marciano da Silva, de 18 anos. “A Raphaella vinha treinando muito bem e, sem dúvida, é uma atleta de futuro, que passou muito bem pelas categorias de base e será importante para o basquete brasileiro nesta renovação que está sendo iniciada”, opinou Lima.

Social e visita

Social e visita

No início da tarde, as atletas participaram de uma ação social, no Shopping Pátio Pinda, denominada “Eu Apoio”, voltada ao combate da violência contra as mulheres e meninas, com iniciativa do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Pindamonhangaba, com apoio da Fundação Universitária Vida Cristã (FUNVIC).

“É sempre importante participar de campanhas de conscientização da população, ainda mais de um assunto tão presente no nosso dia-a-dia, que é a violência contra a mulher. Parabenizo aos organizadores e reitero a necessidade de se lutar sempre contra qualquer tipo de violência”, comentou a pivô Kelly Santos.

Na noite anterior, de sexta-feira, a Seleção recebeu a visita das ‘Magic Minas’, que acompanharam ao treinamento e depois interagiram com atletas e comissão técnica. “Recebê-las aqui foi uma forma de dizer que nós a apoiamos. Espero que elas tenham aproveitado o tempo que passaram aqui conosco”, relatou Adriana Santos, supervisora do departamento feminino da CBB.

As ‘Magic Minas’ integram um time amador de basquete feminino, nascido em 2016 e formado por diversas mulheres que treina as segundas e quartas, em vários lugares públicos de São Paulo (SP). “Queremos conquistar mais espaço e facilitar o acesso para mais mulheres aprenderem, praticarem e treinarem esportes coletivos”, explicou Lygia Pontos, uma das integrantes da equipe.

Na foto (de Kiko Ross/CBB), as jogadora da Seleção em evento social no shopping.

Autoria: Material enviado por Frederico Batalha, da assessoria de Imprensa da CBB.

Comments

comments