São José vira o placar depois de duas desvantagens

O São José soube virar o placar depois de ficar duas vezes em desvantagem e comemorou com a torcida uma importante vitória no Campeonato Paulista da Segunda (4ª) Divisão. Na manhã deste domingo, no Martins Pereira, marcou 3 a 2 no Brasilis de Águas de Lindoia e foi almoçar na liderança do quadrangular do Grupo 6.

Vindo de derrotas nas três partidas do primeiro turno, mas ainda com esperanças de classificação, o Brasilis encarou o São José desde os primeiros movimentos e abriu o placar, aos 12 minutos. Em uma bola que o goleiro e os zagueiros do São José deixaram sobrar na área, o meia Everton Henrique colocou para dentro.

Reagindo em poucos minutos, o time joseense foi buscar o empate, aos 25. Victor Feijão tabelou com Ruero, invadiu a área pela meia esquerda e cruzou rasteiro. O goleiro tentou cortar, não conseguiu alcançar e Thiago Seiji saltou na segunda trave para esticar a perna e aproveitar.

Como o São José não conseguia engrenar no jogo, o Brasilis continuou animado e descolou um pênalti ainda antes do intervalo. Kazu errou um passe na saída de jogo e depois, ao tentar consertar, derrubou um atacante na área. Aos 44,  Everton Henrique cobrou no canto esquerdo e o goleiro Robert fez grande defesa.

Ambulância

Quando o segundo tempo ia começar, o Água de Lindoia exigiu a remoção do atacante Ramon para um hospital. Aos 37 minutos, o jogador recebeu uma entrada forte do lateral joseense Josué e saiu contundido no tornozelo. A arbitragem, depois de quase 15 minutos de conversas, acabou cedendo e liberou o uso da ambulância. Assim, entre saída e a volta de um item de segurança obrigatório, todos esperaram mais 25 minutos até o reinício da partida, às 11h41.

Na retomada do jogo, um desatento São José levou o segundo gol do Brasilis com menos de meio minuto. Em um passe aprofundado, Ranieiri mandou por cima de um goleiro adiantado e surpreso.

Em desvantagem, o São José adiantou o time e aproveitou o incentivo da torcida.  O Brasilis, com espaços, aceitou viver de contragolpes. Duas substituições ofensivas ajudaram o time joseense a buscar um empate. Aos 29, Victor Feijão cobrou escanteio da direita e o zagueiro Kazu fez o seu terceiro gol no quadrangular, fechando com imposição na primeira trave e acertando uma cabeçada forte no canto esquerdo.

Como o empate também não interessava ao Brasilis, o jogo voltou a ficar aberto e com descidas alternadas. Aos 42 minutos, em um contra-ataque rápido e partindo do goleiro Roberto, o São José fez o terceiro gol. Victor Feijão conseguiu um ótimo passe aprofundado para Ruero descer pela meia direita e chutar quando o goleiro já se aproximava para tentar fechar o ângulo.

Pela primeira vez com um placar favorável, o São José tratou de valorizar o resultado. Dentro dos cinco minutos de acréscimos, o Brasilis teve apenas uma boa chance, quando um chute em diagonal quase foi alcançado por Biel, atrás dos zagueiros e com o goleiro já deslocado.

Totalizando oito pontos, o São José foi almoçar na liderança do Grupo 6 e com Brasilis ainda zerado e já eliminado. À tarde, o Itararé, com sete pontos, recebe o Osasco Futebol Clube, que tem quatro, Depois, virão as duas últimas rodadas do quadrangular que classificará os dois melhores: Na penúltima: Osasco FC x São José e Itararé x Brasilis. Na última: São José x Itararé e Brasilis x Osasco FC.

Times

O São José, do técnico José Francisco Oliveira: Robert; Josué, Sydney, Kazu e Paulinho Graça; Bruno (Gustavo 25´/2º), Anderson, Matheus Carioca (Matheus Rebé 13´/2º) e Victor Feijão; Ruero e Thiago Seiji (Ian 42´/2º).

O Brasilis, do técnico Juarez Leite: Lailson; Wanderson, João Pedro, Gabriel (Biel 36´/2º) e Paulo; Guilherme, Kaio, Ranieri e Everton Henrique; Ramon (Wagner 37´/2º) e Aron (Rômulo 27´/2º).

O árbitro foi Anderson Faustino Cordeiro, com os assistentes Luiz Fernando de Moraes e Vladimir Nunes da Silva. O quarto árbitro: Givaldo Alves dos Santos.

O público anunciado foi de 1.096 pagantes, com renda de R$ 14.090,00.

Na foto, o São José recebendo o Brasilis no estádio Martins Pereira.

Comments

comments