São José enfrenta ressaca e com problemas

A eliminação no mata-mata das quartas de final do Paulista da Segunda (4ª) Divisão, com recorde de público no campeonato, deixou o São José com uma ressaca considerável. O atacante Ruero, por ter atuado na véspera em um campeonato amador, saiu pela porta dos fundos. O presidente Adilson José da Silva confirmou que vai renunciar porque esperava um apoio maior do poder público, reclamando da ausência do time na Copa São Paulo de Júnior. E dos R$ 26 da renda líquida da partida de domingo, lamentou que quase oito mil foram levados por uma dívida antiga.

Ainda sobre o jogo de domingo, com derrota em casa para o União de Mogi da Cruzes por 2 a 0, o presidente Adilson José das Silva disse que estranhou uma citação no relatório do árbitro, segundo a qual o vice presidente do São José foi ao vestiário após a partida e para elogios.

“Perguntei a todos os meus vices e nenhum deles disse que foi ao vestiário da arbitragem após a partida. Até, porque teria sentido elogiar um árbitro que veio segurar a partida para um empate e ainda anulou um gol nosso legítimo e quando estava 0 a 0”, disse Adilson.

Sobre o pedido de renúncia, disse que já havia tomado a decisão porque estava sem tempo para conciliar as atividades do clube com a vida profissional e familiar. Nesta segunda-feira, enfatizou o descontentamento com a falta de um apoio que esperava do poder público.

“Novamente colocaram o outro time da cidade na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Nem nos perguntaram se gostaríamos de participar”, disse o presidente, sobre a preferência pelo São José dos Campos Futebol Clube, com o qual a Prefeitura já tem uma parceria envolvendo o programa Atleta Cidadão, de escolinhas e equipes que representam a cidade em competições.

Varzeano

Logo após a derrota de domingo, torcedores usaram as redes sociais para acusar o atacante Ruero de ter jogador na véspera por um time amador, participante de uma competição denominada Copa Sabadeira. O jogador admitiu em uma mensagem pelas redes sociais, alegando que precisava compensar deficiências financeiras no relacionamento com o São José, para evitar problemas com uma pensão alimentícia.

“Os salários do Ruero e dos demais estavam em dia e quando eu e o Oliveira (técnico) soubemos que ele havia jogado no sábado, discutimos o assunto para uma decisão em conjunto. Consideramos que afastá-lo do jogo contra o Mogi seria correr um risco de problemas ainda maiores e de difícil explicação. Ele entrou e a torcida é que deve julgá-lo. No acerto de contas desta segunda-feira, multamos o atleta em 20% dos vencimentos”, disse o presidente Adilson, confirmando que o goleiro reserva Rafael foi punido pelo mesmo motivo.

Público recorde

A torcida do São José estabeleceu o novo recorde de público no campeonato ao registrar 4.739 pagantes no jogo contra o União de Mogi. A renda bruta foi de R$ 38.385,00 e depois do desconto de R$ 12.285,79, das despesas relacionadas no boletim financeiro oficial, gerou uma renda de líquida de R$ 26.099,21.

A diretoria do São José fez um acordo com a Justiça Trabalhista, que leva 30% das receitas do clube para o abatimento de dívidas acumuladas durante décadas. “Só que não temos o mesmo acordo para as ações cíveis e um ex-jogador, que na época do ex-presidente Pedro Yves saiu daqui para jogar na Arábia, levou pouco mais de R$ 7 mil”, disse o presidente Adilson.

Na foto (de Rodolfo Moreira/Jornal Josense News), Ruero tenta passar por um marcador do União de Mogi e diante da torcida que estabeleceu o novo recorde de público no campeonato.

Comments

comments