Taubaté perde em casa no jogo de despedida

O Taubaté apenas cumpria tabela em seu último jogo pela Copa Paulista e quando buscava uma despedida honrosa, não conseguiu. Na manhã deste domingo, no Joaquinzão, levou uma virada do Nacional e perdeu por 3 a 2. O time de São Paulo precisava vencer para tentar a classificação, mas acabou eliminado porque os concorrentes também corresponderam.

Esboçando a evolução demonstrada nas recentes partidas, como nos 2 a 2 da visita de domingo passado à lider Portuguesa, o Taubaté foi buscar a abertura do placar.  Aos 11 minutos, o ala-direito Jean driblou um marcador e levantou na área. O atacante Jô chegou com imposição e mandou uma cabeçada indefensável.

Os taubateanos mantinham o controle das ações quando uma falha possibilitou o gol de empate do Nacional, aos 22 minutos. O volante Alan Mota, completando 50 jogos com a camisa do Taubaté, errou um passe ao tentar sair da defesa e deixou o presente para Émerson Mi. O meia do Nacional, vendo uma posição avançada e normal do goleiro Yuri, chutou por cobertura.

O gol visitante foi rapidamente assimilado pelo Taubaté, que cinco minutos depois, aos 27,  voltou a ficar em vantagem. No seu terceiro gol de falta, que foi o quinto na competição, Jean mandou um chute forte e a bola ainda raspou na cabeça de um defensor antes de deixar o goleiro deslocado.

Com o calor forte e o incentivo dos poucos torcedores que foram prestigiar o time, o Taubaté chegou ao final do primeiro tempo deixando a impressão de que poderia ter ampliado a vantagem. Por isso, no intervalo, o técnico do Nacional, Betinho, usou duas substituições e colocou atacantes por jogadores mais defensivos.

No entanto, os planos do treinador visitante exigiram revisão no primeiro minuto do segundo tempo. O zagueiro Luís Henrique, que já havia sido advertido com cartão amarelo na falta que originou o segundo gol taubateano, deu uma entrada forte em Jô e foi merecidamente expulso.

A virada

Apesar da vantagem no número de jogadores, o Taubaté deixou o volante esquerdo Caio Mendes chegar livre pela esquerda e cruzar. Aos 6 minutos, o atacante Laécio aproveitou e da primeira trave mandou uma cabeçada empatando novamente a partida, por 2 a 2.

Aos 19, o técnico taubateano Alexandre Ferreira fez a primeira substituição, trocando o garoto Lucas Grossi por Rodrigo Soares, outro que completou 50 anos com a camisa do Taubaté. Mas adiante, por contusão, colocou o zagueiro Guilherme no lugar do volante Cléber, avançando Gutierrez e mantendo a linha de três zagueiros.

Para reforçar o sistema defensivo de um time com um jogador a menos, o técnico do Nacional usou a última mudança para tirar o atacante Laécio e colocar o meio-campista Jadson. E no Taubaté, a terceira teve o meia-atacante Rocha no lugar de um exausto Jô.

Sem a retomada do controle do jogo, o Taubaté quase levou um terceiro gol, aos 39. Marcelinho mandou uma cabeçada bem colocada no canto esquerdo e o goleiro Yuri fez grande defesa.  E nos acréscimos, aos 48, o gol da vitória paulistana veio com Jadson,  livre na área e mandando um chute cruzado.

Os times

Os times

O Taubaté, do técnico Alexandre Ferreira: Yuri; Luiz Henrique, Éder e Gutierrez; Jean, Alan Mota, Cléber (Guilherme 24´/2º), Lucas Grossi (Rodrigo Soares 19´/2º) e Wellington Carioca; Chuck e Jô (Rocha 35´/2º).

O Nacional, do técnico Betinho: Felipe Lacerda; Veloso (Marcelinho – intervalo), Luís Henrique, Diego Chiclete e Everton Claiton; Murilo (Naldinho – intervalo), Caio Mendes, Emerson Mi e Thiago Cardoso; Negueba e Laécio (Jadson 28´/2º).

O árbitro foi Kleber Canto dos Santos, com os assistentes Patrick André Bardauil e Ítalo Magno de Paula Andrade. O quarto árbitro: Givaldo Alves dos Santos.

Na foto (de EC Taubaté/divulgação), o ala taubateano Jean preparando uma cobrança de falta.

Comments

comments