Primavera e Santana são finalistas no amador

No domingo do futebol amador, Primavera e Santana conquistaram o direito de decidir o título da Divisão Especial da Acaf, em São José dos Campos. Na rodada de volta das semifinais, o atacante Ruero, ex-São José Esporte Clube, fez mais um gol importante. Em Taubaté, na rodada de ida das semifinais da Primeira Divisão, Vila São Geraldo e União Operária venceram e abriram vantagem.

No início da manhã, o Primavera recebeu o Porto no campo do Nova Esperança e depois de um empate por 1 a 1 no jogo de ida. E logo aos 7 minutos, o time visitante mostrou as suas credenciais de bicampeão pelos títulos de 2015 e 2016, abrindo o placar com Gustavo.

No entanto, a reação do time da casa foi rápida e contundente. Aos 10 minutos, um gol de cabeça marcado por Cesinha igualou a contagem. Mais adiante, aos 16, Heverton Boy fez um golaço e deixou a torcida local em festa. No embalo, aos 24, Ruero foi oportunista na área e com um cabeçada ampliou para 3 a 1.

O Porto conseguiu chegar ao intervalo evitando uma goleada que anteciparia a definição da partida. E com um gol de falta do atacante Reba, aos 13 do segundo tempo, reabriu a disputa pela vaga. O Primavera, mesmo perdendo Cesinha expulso por segundo cartão amarelo, aos 35, conseguiu evitar um tempo de acréscimos dramático. Aos 43, Rafael Gago mandou um chute da esquerda e definiu o placar de 4 a 2.

No campo do Parque Ecológico e depois de um 0 a 0 no jogo de ida, o Santana foi visitar o Paissandu e explorou a experiência dos seus jogadores para vencer por 3 a 2.

Aos 24 minutos, o atacante Brunão acertou um chute forte ao cobrar uma falta de longa distância e abriu o placar para os santanenses. Aproveitando o bom momento, o ex-profissional atacante Alex Cortes ampliou para 2 a 0, aos 27, pegando um rebote do goleiro.

O Paissandu sentiu o golpe e levou o terceiro gol ainda no primeiro tempo, aos 40, em mais um chute forte de Brunão. E a goleada poderia ter vindo logo em seguida, quando Alex Cortes foi deslocado na área e ficou pedindo um pênalti não marcado pela arbitragem.

Depois do intervalo, o Paissandu reagiu. Aos 14, Moisés cobrou uma falta e diminuiu a desvantagem para um 3 a 1. Aos 27, o ex-profissional atacante Cris, do Santana, foi cortar um cruzamento e acabou fazendo contra.

O placar de 3 a 2 reanimou o Paissandu a procurar um empate que provocaria decisão por pênaltis. O time ainda conseguiu um chute no travessão, mas a resistência do Santana acabou prevalecendo.

Agora, em partida única, Primavera e Santana farão a final no próximo domingo, às 10h10, no estádio da AD Parahyba. Um empate provocará decisão por pênaltis.

Em Taubaté

 

Em Taubaté

Na rodada de ida do mata-mata das semifinais da Primeira Divisão e com a Liga determinando os jogos em campos neutros, o Vila São Geraldo foi o principal destaque. Enfrentando o Vila São José na casa do Ipiranga, superou o time da melhor campanha geral, ganhando por 2 a 0. Mascherano, no primeiro tempo e Vagner, no segundo, fizeram os os gols.

Agora, no jogo de volta, o Vila São Geraldo poderá perder por até um gol de diferença. O Vila São José, para inverter a situação com bola rolando, terá que vencer por três gols de vantagem. Devolvendo a derrota de dois, provocará decisão por pênaltis.

No campo do Independência, o União Operária venceu o Palestra Brasil por 2 a 1 e agora terá a vantagem do empate na segunda rodada. O experiente zagueiro Levéio abriu o placar aos 11 minutos do primeiro tempo. E o resultado foi mantido até um empate palestrino surgir aos 17 do segundo, com Kinca.

O gol da vitória do União chegou em mais um escanteio cobrado por Matheus, aos 39 minutos. Na área, o artilheiro Ângelo, sem receber a devida marcação, não deixou passar a oportunidade de uma cabeçada bem colocada.

Na foto (de Jorge Henrique de Oliveira/Cortesia), o goleiro Edinho, do Santana e ex-profissional do São José, busca uma levantamento na área em ataque do Paissandu.

Comments

comments